23 de abr de 2013

Você me perdeu











Prometi-me não olhar para trás. Hoje, seis meses depois daquela conturbada noite de fevereiro, olhei pela milésima vez.
       Não foi fácil te deixar para trás, meu mundo meio que se resumia a você: meu melhor amigo, meu confidente, meu professor de biologia nas horas vagas, meu... Sabe-se lá o que nós éramos. Eu não sei, duvido muito que você saiba.
     Nos encaixamos no conceito de amigos coloridos, explorados por Hollywood em Amizade Colorida e Amigos com Benefícios. Mas sem dancinha na estação de metro, sem final feliz.
       Te tirei da minha vida e, após isso, senti-me só, perdida. Mas como poderia eu deixar-lhe ficar? Ficar para quê? Você não sabe a tal resposta hoje, tampouco sabia 183 dias atrás. Eu não queria ser aquela que beijava quando ninguém estava vendo e com quem conversava sobre tudo, todas as noites. Eu sabia o que sentia por você. e já não suportava a sua indecisão. Lhe perdi. Ou melhor, você me perdeu.
       Não nego que chorei por uma ou duas semanas. Talvez, até mais que isso. Em compensação, conheci pessoas e lugares que não conheceria e fiz coisas que não teria feito se tivesse continuado a insistir em um inexistente "nós". Me fez bem. Fui em frente, saí com caras que sabia o que queriam comigo, me faziam rir como ninguém e não tinham vergonha de segurar a minha mão na rua. Nenhum deles foi bom o suficiente pelo simples fato de não ser você. Até que um deles foi. Até que você ficou definitivamente no passado. Eu me dei uma chance de viver sem você e valeu a pena.
        Sabe o que mais me doeu? Você nunca ter pedido-me para ficar. Achava que eu voltaria, como tantas vezes voltei. Por que lutaria por mim? Já me tinha nas mãos. 
       As semanas foram passando e sentiu minha falta, mas nem isso lhe fez procurar por mim. Até que me viu sorrindo ao lado de outro garoto. E não qualquer sorriso, mas aquele com as covinhas aparecendo, algo que só acontece quando sorrio de verdade. Só então percebeu que tinha perdido-me e decidiu lutar por mim. Tarde demais. Comigo, é tudo ou nada. Você foi o meu tudo, mas decidiu por ser o meu nada. Não adianta correr atrás, o que está feito, está feito, aceite as consequências. Você me perdeu.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

© Apesar de Você- Julia Calvacante - 2013. Todos os direitos reservados.
Criado por: Tamires PereiraSakurart.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo