2 de abr de 2013

Uma ótima lembrança







Eu te amei. Mas isso já não é novidade: até quem esbarrava comigo na rua podia ver.
        Me joguei em nossa relação de corpo e alma, temendo cair em queda livre. Era apenas uma garota boba e inexperiente, de seus quatorze anos, com medo de amar. Você abraçou, espantando os meus medos. Você, apenas mais um garoto de dezessete anos, cheio de duvidas, problemas e dilemas, tinha o abraço que me confortava quase tanto quanto o de minha mãe. Mas eu não queria que soubesse disso, então o dava um tapa e chamava-o de abestado.
     Mas, no fundo, você sabia que eu era sua. O nosso amor estava estampado na cara, no sorriso bobo que surgia nos momentos mais inadequados, na necessidade de sentir o cheiro, ouvir a voz, tocar, beliscar, abraçar, bater, beijar.
       Eu já não tinha medo: achei que nunca terminaríamos. Que tola, achei que éramos destinados um ao outro, casaríamos, teríamos filhos, morreríamos juntos. Mas, apesar de ir contra os meus desejos, após dois anos, acabou. As brigas não nos deixaram ir em frente. Mais alguns meses de tentativas, discussões, beijos às escondidas. Mais decepções e erros.
       Doeu, mas tive que lhe deixar ir. E, sabe, foi o melhor. Aqui estou eu, quinze anos mais velha. São três anos de casamento e um filho de apenas uma semana de vida. O nome dele? O seu.
       Você foi meu primeiro amor, meu primeiro amante, meu melhor amigo. Muitas da minhas melhores lembranças envolvem você. Mas foi melhor assim. Você é uma ótima lembrança.

3 comentários:

  1. Você escreve muito bem, parabéns pelo blog :)

    http://entresujeitoseverbos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Muito bom
    http://radarmexeriqueiro.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

© Apesar de Você- Julia Calvacante - 2013. Todos os direitos reservados.
Criado por: Tamires PereiraSakurart.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo