21 de mar de 2013

Até logo







Assisto de longe a sua vida acontecer. As coisas estão mudando, e mudando depressa.
     Você não é mais aquele menino que sempre tinha um sorriso nos lábios e acreditava em almas gêmeas. Que fazia palhaçada durante a aula e dançava no meio da rua. Não, agora você é um homem.
     Trabalha, tem uma namorada com quem faz planos para o futuro. Ah, o futuro.  Também fizemos planos, não é mesmo? Mas ela foi a real escolhida. Quem você vai esperar no altar, fazer o almoço de domingo e ter filhos com seus olhos.
     Ela é quem vai brigar pela toalha molhada na cama, pelos seus atrasos, pelas suas manias estranhas. É com ela que você vai conversar, quando chegar cansado do trabalho, e fazer amor de madrugada.
     Eu? Eu sou apenas a garota por quem, um dia, foi apaixonado. Aquela, que te fazia rir como ninguém e se deixava levar por suas loucuras. Que te mimava, mas brigava também. A garota de personalidade forte que nunca foi boa o suficiente.
      Eu sou apenas lembranças. Não se preocupe, você também será. Algum dia.
     Esperarei pelo convite do seu casamento e irei, assim como você irá ao batizado do meu primeiro filho. Faremos o papel que nos foi designado: sermos não mais que bons e velhos amigos.
     Então, que tal um abraço? Tenho sentido falta dos seus. Lembra que vivia me abraçando? Dizia que era para deixar bem claro para qualquer um que pudesse nos ver: eu era toda sua. Ah, querido, isso nunca foi necessário. Qualquer um que pudesse olhar nos meus olhos e ver meu sorriso bobo sabia.
     Encontrei alguém que pode exercer a mesma função que você exercia: me tirar do chão. Você sabe, eu sempre fui sensata. Nem mesmo você conseguia me tirar o juízo completamente, como ele consegue.
     Ele conseguiu fazer aquilo que você tanto tentou: me mudar. A diferença é que, com ele, a mudança foi natural. Ele não pediu, havia me aceitado daquela forma. Mas algo me fez mudar. Algo naquele sorriso preguiçoso e naquela mente sem juízo.
     É, acho que estou apaixonada. Quem diria que isso poderia acontecer, depois de você? Sempre achei que seria o único. Que nunca conseguiria sentir o que eu senti por você. Acho que nunca conseguirei. Cada amor é diferente. As "funções" podem ser as mesmas, mas os sentimentos, não.
    Isso não é um adeus, é um até breve. Você sabe, nossos caminhos  acabam se cruzando. E, em alguma esquina desse mundinho pequeno, nos esbarraremos.

4 comentários:

© Apesar de Você- Julia Calvacante - 2013. Todos os direitos reservados.
Criado por: Tamires PereiraSakurart.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo