16 de fev de 2013

Conversas de secretária eletrônica



"Deixe a sua mensagem após o sinal. Piiiiii!"

         Oi, como você está? Deve ser estranho receber uma ligação minha, não é mesmo?
         Só estou lhe ligando para dizer que estou bem, seguindo em frente. Lembra que as pessoas diziam que formávamos um belo casal? Lembra dos planos que fizemos? Lembra das vezes em que brigou comigo pela minha falta de crença no casamento? Você dizia que era a prova de que eu não acreditava em “nós”. Lembra das promessas que me fez? Você prometeu que seus “eu te amos” eram sinceros, que seria fiel, que confiaria em mim. E eu, como uma tola, acreditei.
        Mas não, não ligo para jogar na sua cara suas mentiras. Minha mãe de vez em quando pergunta sobre você, à procura de vestígios de magoa ou arrependimento em minha resposta. Sempre são tentativas falhas. Falo sério, não guardo ressentimentos, não me arrependo. Você foi um grande erro, mas um erro que, como todos os outros, me ensinou algo importante.
         Não nego que, durante semanas, fiquei remoendo nosso relacionamento. Queria saber o que eu tinha de errado para ter sido tratada daquela forma. Percebi que o erro não está em mim, mas em você. Percebi que não é um cafajeste, apenas um leigo no mundo dos relacionamentos.
         Ouvi falar que ainda não me esqueceu. Que apesar de todos os erros que cometeu, me amava. Ouvi falar que ficou com o máximo de garotas que podia para tentar me tirar da cabeça, mas me procurava em cada uma delas. Ficou com Maria, pois tinha meu sorriso, com Fulana pois tinha meu jeito de falar, com Sicrana pois vestia uma blusa igual a minha.
         Mas, sabe, o melhor a fazer agora é seguir em frente. Eu segui. Estou mais feliz que nunca e essa felicidade me trouxe uma pessoa especial. Um cara que provou que muitas das coisas que você me disse era mentira. Ele é a prova de que músculo não diminui inteligência, que eu poderia encontrar alguém melhor que você. Alguém que não me faz promessas, me faz feliz. Ele me chama de dramática, mas não como se isso fosse a pior coisa do mundo. Antes de tudo, ele é meu amigo. Pela primeira vez, um cara fez eu me sentir especial, bonita.
         Alguém que me respeita, que aguenta até minhas piores tpm’s . Que aguenta meus dramas, guarda meus segredos e não tem vergonha de mim.
        Sabe qual é a melhor parte? Não definimos o que somos, o que faremos e se temos futuro. Apenas vivemos. Sim, ele conseguiu me mostrar que a vida foi feita para ser vivida e me livrei de varias das minhas regras chatas, que você nem chegou a conhecer.
        Você me machucou, mas a ferida cicatrizou há muito. Espero que seja feliz, como prometeu que me faria. 
        Bem, aprenda comigo e desapegue-se. Adeus, até nunca mais.

"Piiii, mensagem gravada."

Nenhum comentário:

Postar um comentário

© Apesar de Você- Julia Calvacante - 2013. Todos os direitos reservados.
Criado por: Tamires PereiraSakurart.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo